Envelope de carta em fundo preto com múltiplas palavras saindo dele.

Saiba o que é SPAM, como funciona e por que você deve fugir dele!

Nesse mundo complexo da web, muitas são as coisas boas que ajudam a transformar sites, dando mais visualizações, autoridade, entre outras questões necessárias. Porém, ao mesmo tempo que existem essas ferramentas boas, existem as não tão boas e indicadas que podem causar turbilhões de desorganização e, até mesmo, penalizações!

Você sabe o que é SPAM? Bem, esse é um dos exemplos que podemos citar, do inglês Sending and Posting Advertisement in Mass. Esse grande conjunto de palavras quer dizer nada menos do que disparar diversas mensagens ou links automáticos em grande volume para uma lista de e-mails, números de telefones e outros meios de comunicação sem que o destinatário tenha solicitado. Invasivo, não acha? Pois é!

Por isso, se você não tem muito conhecimento sobre essa prática – que não é nada boa – e tudo o que ela envolve, continue aqui! Eu sou a Nathalia Gabriele, redatora tripulante dessa nave-mãe incrível que é a liveSEO, e vou descomplicar esse termo para você. Quer saber mais? Então, desbrave comigo esse Universo!

O que é SPAM? Pesadelo em forma de mensagem!

O SPAM, resumidamente, são mensagens indesejadas disparadas de forma massiva que podem vender produtos, informações, solicitar acessos, inscrições, mover publicidade, entre outras coisas, tirando a paz dos destinatários, atrapalhando sistemas e, até mesmo, incluindo vírus nos computadores alheios.

Isso acontece porque, na internet, existem muitas ramificações que levam para diversas seções que se classificam entre a comunicação de usuários, as informações (criadas, repassadas e atualizadas aos montes), domínios de compra e venda, entre tantas outras.

Quando damos ênfase no diálogo, ou seja, na comunicação entre usuários, tem-se algo que nem sempre é recíproco. Como assim, Nath? Bem, pense em uma conversa sua com algum familiar ou amigo, você pode perguntar e ser respondido – a comunicação foi estabelecida, ou, como falamos na Linguística, o enunciador produziu o enunciado e este chegou ao enunciatário –, assim como pode acontecer de você ser completamente ignorado, resultando em uma conversa unilateral.

Esse envio excessivo de mensagens se encaixa na conversa unilateral e, mais que isso, é indesejada. Então, juntamos o disparo de e-mails e, pronto, temos uma conversa nada legal.

Quais são os SPAMs mais comuns?

Uma das práticas mais comuns é criar backlinks automaticamente, em sites com programas específicos, e lançar em páginas como comentários para tentar conseguir alguma autoridade ou prejudicar os concorrentes.

Outra prática comum é enviar esses links automáticos massivos e propagandas a partir de e-mails, no qual uma empresa ou plataforma pega uma lista cheia de endereços (que, provavelmente, não autorizaram o recebimento) e dispara mensagens em dias consecutivos e, até mesmo, mais de uma vez por dia, tentando vender seus produtos ou serviços!

A história do SPAM: de prática importante ao Black Hat

O SPAM está aí há muito tempo, sabia? O primeiro registro dele via web aconteceu em 1978, quando um funcionário da DEC, uma empresa de computadores da época que era gerenciada pelo governo dos EUA, enviou para todas as pessoas que usavam a Arpanet convites sobre novos lançamentos de produtos. O resultado, é claro, não foi nada satisfatório, ninguém gostou!

No início a prática até funcionava e se popularizou, principalmente quando um maior número de pessoas começou a usar os mecanismos de busca. Mas depois da Penguin Update, ela perdeu totalmente a utilidade.

Espera aí… você não sabe exatamente o que essa atualização fez? Bem, em poucas palavras, todos os links da web começaram a ser avaliados e classificados de uma forma diferente, separados em “bons” e “ruins”. Então se tinha coisa de má qualidade, o Google penaliza o site sem dó!

Desde então, para infelicidade de muitos, a prática se tornou um ato corriqueiro e incômodo, envolvido por ilegalidades. É proibido comprar listas com e-mails sem autorização. Se alguém continua fazendo isso com você, não se preocupe, a penalidade vai chegar! Ah, e o Google percebe quando há contas comentando em diversos sites com links automáticos duvidosos, isso é classificado como Black Hat!

Se você ainda tem dúvidas sobre o White Hat e Black Hat, temos um post completo aqui mesmo no blog. Que tal dar uma passadinha depois, hein, astronauta?

SPAM é diferente de E-mail Marketing – não confunda!

Nesse momento, você pode se questionar “Ah, mas uma das estratégias de Marketing Digital é o envio de e-mails, quer dizer que estou mandando SPAM?“. Não, não é bem assim, apesar de ser bem tênue a linha entre ambas as práticas. Mas tem diferença, sim!

Mandar e-mails com objetivos comerciais de vender um produto, anunciar uma promoção e chamar mais acessos é uma estratégia, isso não é considerado SPAM desde o momento que o remetente tenha autorização para fazer esses envios por parte do destinatário, e esse último tenha considerado ele amigável.

Agora, quando não há autorização do remetente é SPAM, principalmente se as mensagens incluem muito mais do que conteúdo de venda, como vírus maliciosos. Assim, elas podem ser marcadas e descartadas na seção exclusiva dos recebimentos indesejados.

Por que evitar a prática de SPAM?

Pode parecer inofensivo enviar vários e-mails ou fazer comentários em sua página com outras contas, mas causa um grande impacto em seu site, sabia? Pois é, no final, os malefícios causados ao seu domínio serão enormes aos olhos do Google. Melhor não arriscar, né? Você deve evitar essa prática porque ela:

Diminui a autoridade do seu site

O Google está constantemente realizando updates para melhor sua usabilidade, evitar fraudes e “macetes” que tentam violar suas regras. Se você faz algo que suas diretrizes classificam como ruim para tentar trazer mais relevância e autoridade para o site, saiba que acontecerá exatamente ao contrário. Menos autoridade = menor visibilidade. O Google vai penalizar!

Prejudica o faturamento

Mandar esses links automáticos e massivos significa que você não está atuando em outra estratégia realmente relevante para seu e-commerce, sendo assim, terá menor faturamento. Aliás, se o Google identificar a prática errada, o site pode não aparecer nos mecanismos de busca. E aí, como fica sua geração de leads e conversões? Bem, ela não vai acontecer!

Rebaixa a reputação da marca

Quando os clientes e leads recebem esses links e mensagens massivas, sentem-se desconfortáveis e, até mesmo, irritados pelo incômodo. Isso quer dizer que estão tendo experiências negativas e pode ser que deixar de comprar produtos e serviços no seu site seja algo muito mais simples de fazer.

Como evitar que SPAMs entrem em seu site

Agora que você já sabe o que é SPAM e por que deve evitá-lo, precisa saber como resolver esses problemas em seu domínio. Existem formas de impedir que ele te prejudique, que são:

Fique sempre de olho em comentários

Não é surpresa que os comentários ajudam muito no engajamento da marca, ainda mais quando são positivos. No entanto, sempre há alguém (pessoa aleatória ou empresa concorrente) que tenta achar uma brechinha para o SPAM, principalmente nessa aba de interação. Por isso, sempre que puder dê uma passada por suas páginas e confira o que estão dizendo, quem sabe não haja um link automático suspeito por ali?!

Deixe os formulários de contato seguros

Se o seu site possui formulário de contato, saiba que está sujeito à ação das mensagens massivas. Para impedir isso, existe a possibilidade de fazer diversas barreiras, como autenticação de etapas, assim os softwares têm grande dificuldade de burlar o sistema.

Modere os usuários

Ter uma moderação em seu site se ele possui uma área para membros é uma ótima estratégia para evitar os SPAMs. Isso evita que contas sejam criadas massivamente apenas para atacar sua marca.

Tenha uma lista negra

A listra negra é uma opção excelente para barrar os spammers, identificando quais são os perfis que utilizam essa prática ruim através do IP. Assim, você coloca o endereço IP na lista negra e evita que o SPAM venha até seu site.

Também há os filtros específicos e plugins que podem ser instalados e que são de muita ajuda. Estratégias não faltam para impedir que essa prática ruim prejudique seu site!

Recebi SPAM, consigo bloquear?

Pense agora que você, dono de um negócio, também é cliente de outras marcas, certo? Os spammers podem não só tentar prejudicar o seu site, mas você como um usuário da web.

Dessa forma, a resposta para essa questão, querido astronauta, é: mais ou menos. Alguns serviços de correios eletrônicos, como o Gmail, Outlook e outros possuem Spamfighter, um filtro para evitá-lo, assim eles, automaticamente, ficam separados em uma aba para não atrapalhar a chegada de outros e-mails com assuntos importantes. Plugins também ajudam, como já citamos.

No entanto, isso não significa que eles deixarão de chegar completamente, apenas não incomodarão sua caixa de entrada. A não ser que você bloqueie o remetente, que é difícil de se fazer quando são muitos. Cá entre nós, o fato é que nem sempre bloquear resolve. É só demorar um tempinho para olhar a caixa de SPAM que ela está novamente lotada, talvez com mensagens da mesma plataforma, empresa ou serviço, apenas com o endereço de e-mail diferente.

Conhecer mais profundamente sobre o que é SPAM é essencial para evitar todos os problemas descritos nesse post. Práticas boas são sempre as melhores, lembre-se disso! A liveSEO busca sempre oferecer o melhor para os clientes usando de estratégias que ajudam o site a crescer sem “passar por debaixo dos panos”, sejam elas On Page e Off Page. SPAM aqui? Jamais!

Se você tiver dúvidas sobre esse ou outros assuntos, não deixe de escrever nos comentários. Conhecimento nunca é demais, as perguntas geram diálogos incríveis, aliás, nós gostamos de boas conversas, sabia?! Enfim, por agora é só, astronauta. Fique ligado(a) em nossa órbita e não perca nenhum conteúdo!

Deixe um comentário

Posts relacionados