Reproduzir vídeo

Analisando dados de SEO com o Google Analytics 4

Conteúdo
Conteúdo

Se você estava acostumado com a ferramenta Universal Analytics e viu uma movimentação sobre o assunto no último ano, sabe que algumas mudanças foram implementadas na mais nova versão da ferramenta. 

Nesse contexto, talvez você tenha se questionado sobre os novos recursos disponíveis e como aproveitá-los no SEO. Afinal, quais os benefícios dessa mudança? Quais as diferenças entre UA e GA4?

Todas essas dúvidas foram respondidas durante o nosso webinar, confira no vídeo abaixo:

Porém, como de praxe, trouxemos um conteúdo completo com um resumão de tudo o que rolou no webinar, para que você possa aproveitar e acompanhar cada insight gerado durante essa discussão.

Ao longo deste blog post, vamos mergulhar nos fundamentos do GA4 e mostrar como ele pode fornecer insights valiosos sobre o desempenho do SEO do seu site. Além disso, discutiremos as métricas específicas do GA4 que podem ajudá-lo a entender melhor o comportamento dos usuários e aprimorar sua estratégia de otimização para mecanismos de busca.

Veja tudo sobre as diferenças entre o UA e o GA4 a seguir!

O que é o GA4?

Google Analytics é uma ferramenta de análise de dados para websites e aplicativos. Ele foi projetado como uma propriedade voltada para o futuro da medição e traz algumas características distintas em relação à sua versão anterior, o Universal Analytics.

Existem alguns motivos que geraram as mudanças na ferramenta, veja alguns deles: 

Facilitar as análises de aplicativos

O GA4 foi projetado para fornecer uma análise mais abrangente e aprofundada dos aplicativos móveis, algo que não era tão viável no UA. Com a coleta de dados baseada em eventos, o GA4 permite análises mais complexas, sendo possível entender melhor o comportamento dos usuários.

Maior rigorosidade nas políticas de proteção de dados no mundo

A proteção de dados se tornou uma preocupação cada vez maior nos últimos anos. Com o GA4, o Google Analytics busca atender às regulamentações de privacidade de dados, como a LGPD.

Os recursos de controle de privacidade do GA4, como a medição sem cookies e a modelagem comportamental e de conversões, ajudam a proteger a privacidade dos usuários e a garantir a conformidade com as políticas de proteção de dados de diferentes países.

Tornar o GA mais personalizável ao usuário

O GA4 foi desenvolvido para oferecer maior flexibilidade e personalização aos seus usuários, auxiliando-os a utilizar otimizações, relatórios e funis mais assertivos, com informações realmente relevantes.

Utilização de uma inteligência artificial mais presente nas análises

O GA4 integra recursos avançados de IA (Inteligência Artificial) e machine learning para fornecer insights mais poderosos. As capacidades de previsão do GA4 ajudam a fornecer orientações e recomendações baseadas em dados, sem a necessidade de modelos complexos. 

A inteligência artificial pode identificar padrões ocultos nos dados e fornecer insights acionáveis para melhorar a eficácia das estratégias de marketing, otimizar a experiência do usuário e impulsionar as conversões.

Quais são as principais diferenças entre o UA e o GA4?

Apesar de o UA ter sido uma ferramenta líder na coleta de dados, com o lançamento do Google Analytics 4 (GA4), surgiram diferenças significativas em relação à geração anterior. Essas foram as que mais chamaram nossa atenção foram:

  • Coleta de dados: o Universal Analytics se baseia em sessões, já o GA4 está baseado em eventos. Devido a isso, os dados não serão idênticos em ambas as versões. Por isso, é necessário ter atenção durante essa mudança, e não estranheza, afinal os dados estarão mais acurados.  
  • Retenção de dados: diferente da geração anterior, que mantinha o trackeamento da retenção de forma quase vitalícia, no GA4, o padrão de retenção é de 2 meses. Mas não se preocupe, existem configurações em que você pode ampliá-la em até 14 meses — na versão gratuita.  

[!] Versões pagas, como o Analytics 360, podem assegurar ainda mais tempo de retenção.

  • Segmentação de dados: O GA4 não possui as famosas vistas e demais segmentos comumente utilizados no UA. Por outro lado, possui filtros que permitem essa mesma visualização. Ou seja, são apenas formas diferentes de segmentação. 
  • Mudança em métricas e visualizações: Como citado anteriormente, o GA4 trabalha com sessões e engajamento. Também temos novos relatórios e podemos utilizar filtros e entender melhor o público alvo. São novas formas de medir e visualizar os dados. 

Essas diferenças refletem uma abordagem atualizada para a coleta e interpretação de dados, além de oferecer recursos mais avançados para enfrentar os desafios atuais do mundo digital. 

Pontos de atenção na nova ferramenta

Metas = Eventos 

Os eventos no GA4 são usados para rastrear interações específicas ou ocorrências em um site ou aplicativo. Eles fornecem informações detalhadas sobre quando certas ações acontecem, como o carregamento de uma página, um clique em um link ou a conclusão de uma compra. 

Além disso, os eventos também podem ser utilizados para medir o comportamento do sistema, como falhas em um aplicativo ou a veiculação de uma impressão. Ao monitorar essas interações e ocorrências, é possível obter insights valiosos sobre o desempenho e o engajamento do seu público-alvo.

Antes, para verificar uma informação no UA, era preciso definir uma meta e uma forma de abordagem (por página de destino, evento). Já no GA4, todas são por eventos. Então, tudo o que será trackeado pelo analytics exigirá a criação de um evento.

Esses eventos costumavam ter categorias, rótulos e valores variáveis. Agora o evento só precisa de um nome e um acionador. 

Indicamos criar novos eventos dentro do GTM, é mais simples e prático. Além disso, lembre-se de criar os eventos recomendados pelo Google.

Taxa de rejeição e métricas de engajamento

A taxa de rejeição representa o oposto da taxa de engajamento. Ela indica a porcentagem de sessões em que os usuários não interagem com o conteúdo. Em resumo, o engajamento é uma métrica que mede a quantidade de sessões que passaram de dez segundos com o site na primeira dobra, ou seja, a taxa de engajamento é a porcentagem das sessões que passaram esses segundos ou mais com o site na primeira dobra.

Vistas são descontinuadas 

As vistas era utilizadas para segmentar dados e hoje esse recurso foi descontinuado, sendo possível segmentar por filtros e públicos-alvo

Qual a importância do GA4 para o SEO?

A ferramenta é poderosa para o marketing em geral, já que abrange todos os diferentes canais de tráfego. Para SEO, ela permite acompanhar e analisar buscas orgânicas, trazendo uma visão mais próxima do comportamento do usuário e da conversão.

Mas, para isso, é preciso entender como a fatia do orgânico se encaixa com os outros canais. 

O GA4 também é importante para oferecer uma maior clareza na manipulação dos dados, criando relatórios personalizados. Além disso, vale lembrar que ele deve ser implementado rapidamente, levando em consideração seu prazo de implementação. 

Como utilizar essa ferramenta para SEO?

Dentro do analytics conseguimos realizar diversas análises comportamentais, quando realizamos implementações.

Quando unimos o GA4 com o GSC, podemos ter uma análise mais completa.

No GSC, verificamos aumento, diminuição, estabilidade das ações. E trazemos as mesmas páginas de destino do GA4, para entender se as ações estão dando certo ou não.

Ter esses dados com objetividade, clareza e assertividade em mãos é ideal para nortear as estratégias SEO, identificar possíveis problemas e necessidades de alterações de rota. 

Diferenças entre GA4 e GSC

As duas ferramentas têm papéis muito importantes no monitoramento de um projeto de SEO. Ambas fornecem insights valiosos e dados importantes que ajudam a melhorar o desempenho de um site.

Conheça a função e a importância de cada ferramenta

Google Analytics 4: está mais voltado para tudo o que se relaciona com o comportamento do usuário — ou seja, On Page. Dentro da ferramenta é possível analisar dados de conversão, configurar funis e acompanhar diversas métricas.

Google Search Console: fornece dados específicos relacionados ao desempenho do site. Ele mostra quais palavras-chave estão levando os usuários ao site, quantas impressões e cliques cada página recebe, além de informações sobre links externos e problemas de indexação. Com esses dados, é possível otimizar o conteúdo, corrigir problemas técnicos, identificar oportunidades de keywords e monitorar o posicionamento do site.

Para saber mais a respeito do GSC, assista o vídeo abaixo:

Porque os cliques não batem com as sessões e os usuários orgânicos?

O GSC contém dados que são fornecidos pelo próprio Google, ou seja, quando alguém faz uma pesquisa ou clica no link do seu site, ele armazena a informação e te apresenta quando você possui um método de verificação no site.

Já o GA4, o google só armazena os dados do seu site quando você possui uma tag. Por meio dessa tag, você irá configurar eventos para capturar informações importantes para seu site.

Além disso, as sessões e os usuários possuem regras específicas para serem contabilizados, por isso, os dados não batem, já que a forma de coleta é diferente.

Como vincular o GA4 e o GSC? 

Para vincular as ferramentas e usufruir de todas suas particularidades, bastam alguns passos.

  1. Acesse “Administrador” no canto inferior esquerdo;
  2. Na “propriedade do GA4”, selecionar “Vinculações do Search Console”;
  1. Siga o passo a passo apresentado;
  2. Clique em “Vincular”;

Em apenas 4 passos, você terá suas ferramentas vinculadas.

A próxima etapa é entender como analisar as métricas e relatórios fornecidos pela ferramenta GA4! Vamos lá?

Métricas e relatórios: como analisar? 

No UA, existem mais de 100 relatórios, enquanto no GA4, aproximadamente, 25. Com a disparidade de possibilidades, precisamos saber usar os recursos certos, da melhor maneira possível. Veja os três principais relatórios de acordo com nossos especialistas: 

3 principais relatórios do G4A 

  • Aquisição de tráfego

Ele se divide em três: Visão Geral da Aquisição, Aquisição de Usuários e Aquisição de Tráfego

Em Aquisição de Usuários é possível analisar o primeiro acesso dos usuários no site e seu comportamento. Já em Aquisição de Tráfego temos uma visão mais geral de sessões, aquisições, tempo médio por sessão, engajamento, conversão e receita. 

  • Páginas de destino

É importante entender em quais páginas o usuário entra e converte. Para assim criar estratégias diretamente voltadas para essas páginas que levam o usuário ao objetivo final.

Depois disso, é possível entender quais otimizações fazer, seja com SEO, ADS, etc.

  • Monetização

Esse relatório funciona muito bem para quem já tem configurado os seguintes eventos: 

  1. view_item
  2. add_to_cart
  3. purchase

Como aproveitar o “Explorar”

O explorar permite a personalização de diversos recursos, relatórios, funis e jornada de comportamento do usuário dentro do site.

Quando se trata de SEO, o GA4 se destaca ao permitir que você acompanhe e analise o tráfego orgânico, entendendo melhor o comportamento dos usuários e identificando diversas oportunidades de melhoria. A ferramenta se torna indispensável para impulsionar sua visibilidade e sucesso online.

Portanto, durante seu processo de migração para o GA4, esteja preparado para diferentes análises de dados. Com certeza, elas serão uma peça chave para auxiliar em futuras estratégias de SEO.

Lucas Maranho
Lucas Maranho
Fundador da liveSEO, Agência com foco em SEO que atende e já atendeu E-Commerces no Brasil, Espanha, Estados Unidos, Israel, Paraguai e Polônia, Chile, Colombia, México, desenvolvendo o SEO técnico e de conteúdo com foco em resultados orgânicos.
Especialistas participantes:

Luiz Giacon

Coordenador de Web Analytics

Engenheiro de Produção, atuou com o gerenciamento de mais de 50 projetos SEO. Atualmente coordena o time de BI e Web Analytics, sendo responsável por garantir a entrega de informações confiáveis a gestores e clientes na liveSEO.

Vinicius Conceição

Head de Atendimento

Head de Atendimento e C.X. e sócio da liveSEO, onde trabalha na ponte com as equipes e no estudo das melhores estratégias para o sucesso cada do projeto SEO. Já está há mais de 10 anos na área de suporte ao cliente. Hoje faz a comunicação na linha de frente do atendimento além de ser responsável por coletar e alinhar as expectativas dos clientes às necessidades do projeto SEO.