Tráfego Pago ou Tráfego Orgânico: qual é o melhor?

Fala pessoal! Lorena por aqui, uma das tripulantes da liveSEO. Venho novamente para conversar com vocês sobre os pontos mais interessantes do nosso último webinar, que contou com a primeiríssima edição do Ultimate Marketing Championship: uma série de debates com competidores de peso, sobre as principais estratégias de marketing digital.

Para começar bem, convidamos Rodrigo Martucci, grande especialista em Google Ads e CEO da Nação Digital. Do outro lado do ringue, Lucas Maranho, CEO e analista na agência liveSEO. O grande embate do marketing digital se concentrou em responder a questão: tráfego pago ou tráfego orgânico? Qual é o melhor?

Aparentemente opostas, as duas estratégias têm muitas relações e complementaridades. Quer entender melhor como esses dois braços do crescimento de marketing funcionam? Olha só: 

O que difere a busca paga da busca orgânica?

busca paga e busca orgânica

É claro que os oponentes foram convidados a se apresentar da maneira devida! Afinal, as diferenças entre o SEO e o Google Ads podem parecer óbvias, mas nem sempre são tão opacas e simples quanto se imagina. 

Ilustrando a discussão de maneira clara, Rodrigo Martucci explica que há distinções visuais bastante simples entre resultados pagos e orgânicos na página de pesquisa. Ao pesquisar uma palavra-chave de interesse no Google, visualizamos primeiro os resultados patrocinados, depois os resultados orgânicos, e por fim uma nova seleção de resultados patrocinados. Se a keyword é transacional, um carrossel de produtos patrocinados é exibido no alto da página.

De maneira geral, links com posicionamento pago são colocados em espaços especiais da SERP. Ainda assim, há trabalho a ser feito para que seu produto fique bem posicionado bem dentro dessas áreas designadas. Para Martucci, o critério combina fatores como o índice de qualidade da mídia, o valor do lance pago ao Google e diversos outros elementos que o mecanismo de busca também aplica para os resultados orgânicos.      

Para Lucas Maranho, a diferença mais emblemática entre Google Ads e SEO é, de fato, a divisão visual dos elementos na página do Google. Ele ressalta ainda as diferenças entre os ritmos de trabalho e resultado nas duas estratégias: enquanto o Ads oferece possibilidades experimentação e retornos ágeis, o SEO usa mais tempo e assertividade para construir resultados duradouros.     

Quais as principais vantagens e desvantagens de cada um?

A segunda pergunta do embate foi bastante direta e reforçou as diferenças e potencialidades das duas estratégias. Aproveitando o gancho, Martucci ressaltou a facilidade de experimentação da mídia paga como uma de suas principais vantagens. Adicionou à lista a possibilidade de mudar de direção em tempo real, com resultados imediatos.

Para o especialista, a estratégia também permite que varejistas iniciantes consigam visibilidade de maneira instantânea, difícil de atingir por outras vias. Por outro lado, Martucci expõe que os resultados ágeis da mídia paga devem ser alimentados constantemente, e podem se encerrar com a mesma rapidez com que se iniciaram. 

vantagens e desvantagens google ads

Em comparação, os resultados do SEO são sólidos e costumam se sustentar por muito mais tempo, mesmo que não sejam intocáveis – Lucas nos lembra do “triângulo dourado”, a famosa representação gráfica das três forças que influenciam no seu resultado orgânico: as ações do Google, ações do seu concorrente e as suas ações. Se uma das pontas entra em desequilíbrio, seus resultados consolidados podem estar em risco. 

Para atingir esses resultados orgânicos, de longo prazo, o comerciante também deve estar preparado para um período maior entre o investimento e o retorno. De acordo com Maranho, nem todos os varejistas se estruturaram o suficiente para se estabilizar e trabalhar na direção do posicionamento orgânico. Por outro lado, quando esse trabalho é possível, o lucro sobre produto é maior.   

vantagens e desvantagens SEO

Por que Ads e SEO competem?

Os dois competidores concordam que essa rivalidade famosa entre Google Ads e SEO é motivada pela inclinação natural do ser humano a comparações e julgamentos opacos. Gostamos de classificar as coisas do mundo e estabelecer hierarquias, deixando de explorar todos os tons cinzentos entre o branco e o preto – o que é uma pena. Afinal, é nesse entremeio confuso que moram as grandes ideias! 

Para Lucas Maranho, os comerciantes realmente maduros já entendem o valor das sutilezas e compreendem a necessidade de aliar as duas estratégias. Ele cita um exemplo que já havia sido levantado por Martucci, enfatizando que o SEO bem trabalhado pode diminuir o custo do Ads. As intersecções entre os métodos são muitas, e juntas fazem um marketing crescer de fato.  

Rodrigo Martucci nos lembra, ainda, que os negócios tendem a se beneficiar de uma observação ampla e multifacetada do projeto, o que envolve SEO, Google Ads e diversos outros métodos para solidificação dos processos de marketing.  

Quais as métricas para uma boa campanha de Google Ads? E de SEO?

Quem iniciou o round 4 foi Martucci, que elencou como principais métricas de acompanhamento para mídias pagas a taxa de cliques, as impressões, o custo de aquisição, a taxa de conversão e parcela de impressão (métrica que diz qual a porcentagem de vezes que você aparece para determinados termos de busca). Ele ressalta que esses acompanhamentos variam um pouco, de acordo com os diferentes mercados, mas todos devem ser observados diariamente.

Lucas se atenta às métricas de tráfego, o grande intuito do SEO. Esse dado, no entanto, não é observado de maneira simples, mas comparado e acompanhado com níveis de faturamento e desempenho. Na realidade, todas as estratégias para tráfego orgânico se apoiam em uma infinidade de dados, considerando a importância da precisão em tudo que se dá a longo prazo. Os dados são a verdadeira matéria prima do trabalho com SEO! 

SEO e Google Ads em conjunto: como integrar as estratégias?

Já imaginou usar estratégias de Ads para entender o mercado e selecionar o melhor campo para cultivar a longo prazo? Para Martucci, essa é uma das interações mais interessantes entre Ads e SEO, justamente por usar com sabedoria os pontos fortes de cada um dos métodos para um único objetivo. Lucas completa lembrando uma frase de Peter Drucker: “O que não se mede, não se gerencia”. Nessa estratégia conjunta, o trabalho com Ads rende insights poderosos para a consolidação com o SEO. 

Há ainda a possibilidade de usar-se do Ads para gerar maturidade e uma “folga para manutenção” dos trabalhos de SEO, exercendo esforços de curto e longo prazos ao mesmo tempo. Balancear esses pontos e contar com recursos variados parece ser a saída mais segura e consolidada para se colocar muito à frente dos concorrentes.  

Gostou da discussão? Então fique atento para não perder nossa próxima edição do UMC: Ultimate Marketing Championship. Aqui na live adoramos um bom debate de ideais e queremos te convidar pra crescer com a gente! 

Enquanto isso, não deixe de conferir nossos outros webinars, cheios de informação de ponta sobre SEO e marketing digital.

Até mais, astronauta!

Deixe um comentário