SEO para plataforma VTEX – Validando o SEO

Olá, eu sou o Vinicius, tripulante da nave liveSEO, e estou aqui para te dar um resumo do que foi tratado no webinar “SEO para plataforma VTEX “.

Vamos lá?

Qual é a Plataforma de e-Commerce perfeita?

Um fato que devemos destacar, logo de início, é: não existe plataforma perfeita!

Existem várias discussões sobre qual plataforma é  a ”melhor”, mas o que ocorre, na realidade, é que há uma plataforma que consegue integrar serviços e funcionalidades que  seu e-commerce necessita e no estágio em que ele se encontra.

Sendo assim, não podemos dizer que uma é melhor ou pior que outra. Falhas e pontos positivos terão em todas!

Vários de nossos clientes, por exemplo, conseguiram bons resultados orgânicos em um prazo relativamente curto. Isso porque, quando corrigimos falhas primordiais, damos um boost nos resultados de maneira muito satisfatória.

Principais problemas de SEO na plataforma VTEX!

Compilamos alguns erros de SEO em sites na plataforma VTEX e os dividimos em 5 aspectos que, se forem otimizados, podem aumentar e muito o  tráfego orgânico.

Antes de entramos no assunto, é interessante falarmos brevemente como o buscador Google funciona:

  • Rastreio: em primeiro lugar, ocorre o rastreio do site, que registra todos elementos do código, links, vídeos etc.
  • Indexação: o segundo passo é a indexação, em que o Google guarda as informações do site em “gavetas”, colocando-o em uma organização do seu banco de dados interno.
  • Curiosidade: o banco de dados da google contém mais de um milhão de gigabytes!
  • Rankeamento: depois, acontece o ranqueamento, que se baseia em relevância e autoridade, levando em conta todo o banco de dados do Google.

Considerando essas três etapas, podemos otimizar cada passo do processo.

Como funciona o Google, imagem explicando os processos e passos que ocorrem até ranquear uma pagina

Como a VTEX se comporta com os 3 passos do buscador?

Um fator importante que deve ser ressaltado é a anomalia que ocorre logo no primeiro passo, conhecida como Spider trap.

Essa “armadilha de aranha” (aranha, para você entender, é um termo utilizado para nomear o crawler do Google, o software que faz o rastreio de todas as páginas da a web), significa que a Google acaba rastreando de forma “infinita” seu site. Isso é muito prejudicial, pois não aproveitamos o Crawl Budget.

Mas, afinal, o que é Crawl Budget? De forma bem resumida: é o tempo que o Google disponibiliza para rastrear seu site.

Dependendo de sua relevância e autoridade, é destinado alguns minutos/segundos de rastreio em sua página. Imagine que, se mal utilizado, ele não conseguirá acessar todas suas categorias ou produtos, perdendo tempo e oportunidade de rastrear, consequentemente indexar e rankear suas páginas interessantes.

Vamos, agora, aos problemas mais ocorrentes na plataforma:

1. Spider Trap na VTex

Um dos problemas que encontramos como padrão de otimização é que, absolutamente todos, tinham spider trap. Houve casos em que um site chegou no limite de URLs rastreadas. 5 milhões!

Tomamos como exemplo um site que utiliza VTEX, a Calvin Klein. Colocamo-os para rastrear e, em 10% do rastreio, a ferramenta já nos acusava 239,098 URLs “totais” do site.

Os sites que não estão bem configurados se perdem em filtros e parâmetros oferecidos na plataforma. Quem é VTEX sabe do que estamos falando: “Order by release desc” , e vários outros que estão presentes nela.

Se a configuração não for adequada, haverá uma desorganização que, consequentemente, ocasionará um spider trap. Desse jeito, não é possível mostrar ao Google que os URLs são importantes.

Na spider trap (armadilha de aranha), encontraremos problemas de indexação. Quer dizer que o Google irá mostrar para os usuários páginas que não são interessantes para o e-commerce.

Se seu site está na VTEX, confira o teste que explicamos no webinar. Digite o seguinte comando no buscador: site:seusite.com.br

exemplo de indexacao errada devido a filtros vtex

Aproximadamente 80.300 resultados. Será que contando todos os produtos + categorias, teremos essa quantidade de URLs?

Com certeza não! Isso significa que estamos “desperdiçando” as oportunidades que o Google nos dá de demonstrar os produtos e categorias que realmente sejam interessantes. Há diversos URLs com filtros e aspectos que acabam duplicando os resultados e dificultando o rastreio.

Para ter certeza sobre essesURLs, é legal conferirmos do Search Console. Dessa forma, é possível detectar a real quantidade de páginas indexadas e quais delas são “inúteis” para o usuário, focando nas soluções para cada tipo de problema específico.

2. Canibalização de Keywords

A segunda falha identificada em todos os projetos da liveSEO que utilizam VTEX foi a Canibalização. Calma, nada literal, rs!

Em SEO, damos esse nome quando temos dois ou mais URLs disputando a mesma keyword, isto é, um site concorrendo com ele próprio. Novamente, usamos o site da Calvin Klein. Pesquisamos tudo o que havia com “outlet”.

Percebemos URLs diferentes que estavam redirecionando para a mesma página, por falta de configuração e otimização de filtros junto à indexação.

Essa é uma forma clara de mostrar o que acontece no Google, quando se trata da mesma página, ou da maneira que a Google deve passar seu rastreio no site VTEX.

3. Sitemaps

Outro problema presente nos sites que usam a plataforma VTEX é o sitemaps. Se deixarmos o padrão automático que acompanha o site, o sitemap chega totalmente desconfigurado.

Diversos URLs enviados no sitemap.xml aparecem com filtros e parâmetros. É como se estivéssemos pedindo ao buscador para “gastar” seu tempo com rastreio em várias páginas (muitas vezes repetidas) com filtros “banais”.

Nomeamos “banais”, pois, quando existem URLs com filtros, quer dizer que há especificações de um mesmo URL – que provavelmente já foi rastreado anteriormente.

Um filtro nada mais é do que um refinamento, como no exemplo abaixo:

brastemp.com.br/eletrodomesticos/110V?map=c…

Essa parte em negrito é o que chamamos de filtro no URL. Enviar esse tipo de URL no sitemap é perder o precioso tempo que o Google passa em nosso site. Ao invés de otimizar esse time (crawl budget), estamos gastando com páginas repetidas.

sitemap com urls de filtros fazendo que o google perca tempo no rastreio

4. Redirects

Ao longo de nosso trabalho com diferentes e-commerces que usam VTEX, verificamos que, a partir de meados de 2018, a plataforma está entregando as imagens por meio de uma CDN exclusiva.

Esse é um passo muito positivo no ponto de vista SEO, porque pode otimizar – e muito – o tempo de entrega e carregamento das imagens. Porém, os URLs delas ainda apontam para o antigo endereço e são redirecionados para a nova CDN.

Para ficar mais claro o que acontece com o redirecionamento e entender o porquê ele é prejudicial, vamos usar o site demonstrado no vídeo: a imagem da logo da Calvin Klein.

Observamos que ele redireciona para um domínio de “vteximg.com.br”. Portanto, no momento que o Crawler da Google passa por esse link, ele “perde” o tempo do redirecionamento que resulta em milissegundos a mais no processo.

Talvez você esteja pensando que é muito pouco tempo para influenciar, mas multiplique esses milissegundos em 10.000 imagens (sendo otimista) ou mais. Assim somaremos vários segundos preciosos para o SEO de vossa página.

Como resolver esses problemas?

1. Robots.txt

Todo site, com o mínimo planejado em SEO, possui o arquivo robots.txt no diretório principal ( dominiodosite.com.br/robots.txt ).

Nesse arquivo são adicionadas algumas diretrizes para os robôs ou crawlers dos motores de busca, para que não passem por páginas indesejadas.

Assim, após uma análise completa do site VTEX, podemos acrescentar diretrizes para o buscador não gastar tempo com o que não é importante.

2. Noindex

A meta tag noindex é um aspecto fundamental no SEO e pode ser implantada no código HTML de todas as páginas indesejadas que a plataforma permitir. Por isso, é uma poderosa arma de direcionamento para todo e qualquer site na web.

3. Sitemap

Como já foi falado no vídeo, sitemap é um arquivo XML que forma, literalmente, um mapa de links essenciais que enviamos para os motores de busca.

Portanto, é importante retirarmos todos os URLs “lixo”, que não agregam em nada para a experiência do usuário, e os links com filtros que possam repetir os mesmos produtos já rastreados..

4. Links de Imagens

Nos casos em que as imagens são redirecionadas, temos um grande problema de crawl budget.

Otimizar os links representa aumentar a qualidade do rastreio da Google ao seu site. Imagine quantos URLs o crawler vai conseguir rastrear se retirarmos esse “tempo perdido” no processo de redirecionamento das imagens.

5. Tickets

Todas as otimizações que já foram citadas são imprescindíveis e necessárias.

Os tickets são nossas ferramentas de interação com a agência de desenvolvimento que é autorizada pela VTEX.

São eles que poderão efetuar todas as alterações que salientamos. Se  possível agende uma reunião com a agência de desenvolvimento juntamente com seu responsável por SEO para conseguir embasar cada pedido e deixar tudo alinhado.

6. Editar Titles

Como mencionamos na parte sobre canibalização, pode ser que haja mais de um URL competindo pela mesma keyword.

Cabe, aqui, fazer uma pesquisa para nortear as alterações de titles e alterar as palavras-chave em foco de cada página.

São várias ações que podemos efetuar para deixar seu e-commerce VTEX ainda mais otimizado em SEO .

Já demos muitas ideias e caminhos a serem tomados para melhorar, lembrando que nossa agência é conhecida nacionalmente por ser especializada em SEO, então, se precisar, estamos aqui para te ajudar!

Obrigado pela atenção e boa otimização a todos!

Para relembrar a frase de nosso webinar: “não existe plataforma perfeita. Alcance o máximo de otimização possível e venda!”

Conteúdo que poderia te interessar também:

Velocidade do Site
SEO on Page e off Page
Migração SEO
White Hat e Black Hat

Deixe um comentário