O que é Hummingbird: uma das principais atualizações do Google para SEO

Em setembro de 2013, a Google completou 15 anos e, junto, trouxe uma novidade ao seu mecanismo de busca: uma super atualização denominada Hummingbird.

Olá! Eu sou a Camila, engenheira de conteúdo da liveSEO, e hoje vim tratar desse assunto tão importante para o crescimento orgânico de sites, que é a Hummingbird. Essa atualização envolve o impacto da Inteligência Artificial no SEO e na sua vida, dono de e-commerce.

O assunto foi abordado no Webinar de SEO 17 “Inteligência Artificial e SEO” pelo nosso CEO Lucas Maranho, e no post de hoje, você vai entender de modo mais aprofundado o que é Hummingbird, quais as mudanças que ela trouxe para as pesquisas do Google e, consequentemente, para o SEO.

Está preparado para explorar o universo SEO em uma jornada cheia de aventuras? Então, boa viagem, digo, boa leitura!

Veja um artigo de 2013 sobre Hummingbird com Danny Sullivan

O que é Hummingbird? Entenda o que significa para o SEO

Hummingbird – que significa “beija-flor”, em português – foi a inspiração para a escolha do nome de uma das principais atualizações do algoritmo de busca do Google, e o motivo se dá pelas características do pássaro: rapidez e precisão.

Aspectos principais das mudancas do hummingbird

Antes dessa mudança, houveram duas atualizações que fizeram parte do algoritmo antigo: Panda e Penguin. Podemos entender o Humminbird como uma nova versão do algoritmo, que abrange partes novas – mas ainda sim mantém alguns fatores do algoritmo anterior, como o famoso PageRank.

Aí, abrimos um parênteses para uma curiosidade relevante: sabia que um beija-flor bate as asas entre 90 vezes por segundo? Daí vem a comparação: esta nova versão é mais rápida e eficiente do que a anterior, assim como um hummingbird.

De acordo com Amit Singhal, que foi vice-presidente sênior da Google até 2016, até então, a empresa não tivera nenhuma mudança tão importante e impactante desde 2001, época em que a corporação tinha apenas poucos anos de vida.

As mudanças são bem específicas, e serão melhor tratadas a seguir. Isso não quer dizer que o SEO perdeu a força, pelo contrário, elas apenas afirmaram e enfatizaram aquilo que já viera acontecendo desde a Penguin: o foco passou a ser cada vez mais um conteúdo de qualidade, autoridade e menos parte técnica do SEO. E é sobre essas mudanças que vamos falar, a seguir.

O que mudou com a atualização Hummingbird? Entenda

No Webinar, foram pontuados alguns updates que a atualização proporcionou:

  1. Impactou grande parte das pesquisas no mundo inteiro;
  2. Foi o ponto de partida para a intenção de busca;
  3. Passou a tratar a pesquisa de forma “conversacional”;
  4. Humanizou as pesquisas;
  5. Fundamentou a pesquisa por voz.

Só de olhar esse resumo, já é possível perceber como a mudança revolucionou o SEO, não é mesmo? A partir de então, os resultados das buscas dos usuários tornaram-se muito mais precisos, uma vez que o Google começou a considerar a intenção do usuário.

Mas como assim considerar a intenção do usuário? Isso quer dizer que o buscador passou a ler mentes?

Calma, não é bem assim. Com o Hummingbird, o algoritmo passou a ir além da palavra-chave em si, levando em conta também o campo semântico. Agora, o buscador não foca apenas nos termos buscados estritamente, mas também no significado que tem a busca, os sinônimos da keyword e o contexto no qual os termos estão inseridos.

Mais do que isso, passou a analisar fatores mais complexos, como as pesquisas anteriores realizadas pelo usuário ou até mesmo sua localização. Essas mudanças vão oferecer subsídios que serão melhor estruturadas em um próximo algoritmo: o RankBrain.

Por enquanto, vamos focar nas melhores práticas SEO a partir desse período e o que deve ser evitado para seu e-commerce manter um bom ranking no Google.

O que mudou no uso de keywords (palavras-chave)

A base do SEO é, sem dúvida, o uso de palavras-chave. Isso porque as ferramentas de busca se baseiam nelas para fazer a indexação de uma página – etapa fundamental de como o Google funciona.

Devido à sua importância, o “SEO arcaico” utilizava a repetição exacerbada da palavra-chave em foco em uma página, a fim de reforçá-la, como uma prática saudável.

Hoje, essa prática, que é conhecida como “keyword stuffing” (técnica de black hat), tem efeito inverso: ao invés de contribuir para o posicionamento da página, o prejudica consideravelmente. Isso porque o buscador passou a entender que você está “forçando a barra”.

Outra prática que era bastante comum e passou a ser abolida foi o uso de domínios com palavras-chave. Como, por exemplo: “www.palavra-chave.com.br”.

O Google determina, atualmente, que as palavras-chave devem apenas aparecer fluida e naturalmente ao longo do texto, em locais estratégicos como meta title, meta description, H1, H2 e corpo do texto.

E mais: essas palavras-chave não devem estar engessadas, mas sim aparecer em variações de campo semântico. Por exemplo: se a palavra-chave for “jardim”, vale apostar no uso de outros termos que compõem seu campo, como jardinagem, jardineiro etc.

O que mudou na acessibilidade e SEO On-Page

Outro ponto bastante importante que seu e-commerce deve se preocupar é com a acessibilidade do site. Isso porque os buscadores começaram a se preocupar, a partir da Humminbird, com a User Experience (UX), ou seja, com a experiência de usuário.

Para melhorar nesse aspecto, um dos tópicos levantados é a navegação do seu site, que deve ser o mais simples possível para o usuário encontre facilmente a informação procurada.

Esse cuidado deve ser tomado em todos os navegadores e plataformas disponíveis, especialmente caso do mobile, que tem ganhado proporções enormes nos últimos anos – aliás, a tendência é crescer cada vez mais.

O que mudou no SEO Off-Page

O SEO Off-Page, como os donos de e-commerce bem conhecem, são as ações realizadas fora do site: o famoso Link Building.

Após o update, algumas práticas que eram saudáveis no Off-Page no antigo SEO, também deixaram de ser sustentáveis, ou seja, passaram a ser vistos com maus olhos pelos buscadores.

São diversas as ações que antes davam resultado mas que, após a mudança, passaram a ser consideradas estratégias de SEO black hat – o que pode gerar uma penalização. Nisso, se enquadram os comentários spam, article spanning e o uso excessivo do mesmo anchor text em diferentes artigos.

Para compensar, existem boas práticas que passaram a dar muito mais resultado no Off-Page, como é o caso da produção de conteúdos de qualidade no blog e a criação de Guest Posts em páginas relevantes.

Mas, afinal, qual o objetivo do Humminbird?

Estudando essas mudanças, é possível concluir que um dos principais objetivos do Hummingbird foi fornecer resultados mais rápidos e precisos, certo? Mas não para por aí: a maior intenção do Google, no update, foi aumentar a compreensão do sentido da busca, focando na intenção do usuário.

Basicamente, a ideia foi tornar os conteúdos muito mais humanizados e “conversacionais”. Um grande exemplo de ferramenta que surgiu com a atualização foi a pesquisa por voz, que visa oferecer exatamente o conteúdo que o usuário tem a intenção de encontrar – aliás, em nosso blog, temos um post completíssimo para você entender melhor sobre a importância da busca por voz para o seu e-commerce, vale a pena a leitura.

Mas e aí, deu para entender um pouquinho sobre o que foi o Humminbird, essa atualização essencial ao que conhecemos hoje de SEO? Espero que você tenha aproveitado bem a sua decolagem e que esse conteúdo tenha contribuído ao menos um pouquinho para a sua visão de SEO.

Aqui, em nosso blog, temos diversos conteúdos informativos e bem didáticos para você, que é dono de e-commerce. Explore nossa órbita e conheça o universo SEO!

Deixe um comentário